O Portal de notícias da Região

PB tem 66 Municípios com recursos sequestrados para precatórios

Diário da Justiça eletrônico (DJe) trouxe, nesta quarta-feira, uma nova lista, que inclui 12 prefeituras

A Paraíba já soma 66 municípios com recursos sequestrados para pagamento de precatórios em atraso. O Diário da Justiça eletrônico (DJe) trouxe, nesta quarta-feira, uma nova lista, que inclui as Prefeituras de Taperoá, Aroeiras, Bayeux, São Miguel de Taipu, Remígio, Borborema, São Vicente do Seridó, Nova Olinda, Santa Helena, Cacimba de Areia, São José da Lagoa Tapada e Serra Branca. Juntas, elas tiveram valores que somam R$ 3.642.230,04 milhões sequestrados. A determinação, do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, foi publicada no Diário da Justiça eletrônico (DJe).

Conforme processo administrativo, o Município de Bayeux detém 57,10% do total dos valores, ou seja, uma dívida de R$ 2.079.867,50, correspondente a precatórios devidos no período de janeiro a maio deste ano. O pagamento foi parcelado em sete vezes. Na decisão, o desembargador Márcio Murilo, que acolheu parecer do juiz auxiliar da Presidência do TJPB/Precatórios, Gustavo Procópio, em harmonia com o Ministério Público estadual, determinou, ainda, o sequestro de parcelas vincendas de junho a dezembro de 2019.

No caso de Aroeiras, a dívida é relativa aos anos de 2018 e 2019 e o sequestro foi no valor de R$ 435.144,40, enquanto o do Município de Taperoá, referente ao período de janeiro a maio deste ano, chega a R$ 212.343,75. As mesmas medidas adotadas para Bayeux foram estendidas a essas duas prefeituras. Os sequestros nos demais municípios foram referentes a dívidas de janeiro a maio deste ano, nos seguintes valores: São Miguel de Taipú – R$ 52.375,69; Remígio – R$ 359.046,80; Borborema – R$ 28.404,30; São Vicente do Serido – R$ 93.198,05; Nova Olinda – R$70.623,45; Santa Helena – R$ 68.805,10; Cacimba de Areia – R$ 55.653,45; São José da Lagoa Tapada – R$ 68.150,25; e Serra Branca – R$ 118.617,30. O parcelamento do pagamento nesses municípios varia de três a sete vezes.

Segundo o presidente do TJPB, o parcelamento, dependendo dos valores, ocorre em respeito ao princípio da razoabilidade e para não inviabilizar a Administração Pública na prestação dos serviços básicos à população.

Outros sequestros

No dia 25 de junho deste ano, conforme publicação no Diário da Justiça eletrônico (DJe), o desembargador Márcio Murilo estabeleceu o sequestro de R$ 3.535.090,54 das contas de 24 prefeituras, igualmente, por causa de dívidas de precatórios em atraso, e, no dia seguinte, de mais R$ 1.091.240,77, desta vez de 12 municípios. Outra relação com 18 cidades, somando R$ 2.014.906,82, foi divulgada no DJe do dia 23 de julho.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

PB tem 66 Municípios com recursos sequestrados para precatórios

A Paraíba já soma 66 municípios com recursos sequestrados para pagamento de precatórios em atraso. O Diário da Justiça eletrônico (DJe) trouxe, nesta quarta-feira, uma nova lista, que inclui as Prefeituras de Taperoá, Aroeiras, Bayeux, São Miguel de Taipu, Remígio, Borborema, São Vicente do Seridó, Nova Olinda, Santa Helena, Cacimba de Areia, São José da Lagoa Tapada e Serra Branca. Juntas, elas tiveram valores que somam R$ 3.642.230,04 milhões sequestrados. A determinação, do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, foi publicada no Diário da Justiça eletrônico (DJe).

Conforme processo administrativo, o Município de Bayeux detém 57,10% do total dos valores, ou seja, uma dívida de R$ 2.079.867,50, correspondente a precatórios devidos no período de janeiro a maio deste ano. O pagamento foi parcelado em sete vezes. Na decisão, o desembargador Márcio Murilo, que acolheu parecer do juiz auxiliar da Presidência do TJPB/Precatórios, Gustavo Procópio, em harmonia com o Ministério Público estadual, determinou, ainda, o sequestro de parcelas vincendas de junho a dezembro de 2019.

No caso de Aroeiras, a dívida é relativa aos anos de 2018 e 2019 e o sequestro foi no valor de R$ 435.144,40, enquanto o do Município de Taperoá, referente ao período de janeiro a maio deste ano, chega a R$ 212.343,75. As mesmas medidas adotadas para Bayeux foram estendidas a essas duas prefeituras. Os sequestros nos demais municípios foram referentes a dívidas de janeiro a maio deste ano, nos seguintes valores: São Miguel de Taipú – R$ 52.375,69; Remígio – R$ 359.046,80; Borborema – R$ 28.404,30; São Vicente do Serido – R$ 93.198,05; Nova Olinda – R$70.623,45; Santa Helena – R$ 68.805,10; Cacimba de Areia – R$ 55.653,45; São José da Lagoa Tapada – R$ 68.150,25; e Serra Branca – R$ 118.617,30. O parcelamento do pagamento nesses municípios varia de três a sete vezes.

Segundo o presidente do TJPB, o parcelamento, dependendo dos valores, ocorre em respeito ao princípio da razoabilidade e para não inviabilizar a Administração Pública na prestação dos serviços básicos à população.

Outros sequestros

No dia 25 de junho deste ano, conforme publicação no Diário da Justiça eletrônico (DJe), o desembargador Márcio Murilo estabeleceu o sequestro de R$ 3.535.090,54 das contas de 24 prefeituras, igualmente, por causa de dívidas de precatórios em atraso, e, no dia seguinte, de mais R$ 1.091.240,77, desta vez de 12 municípios. Outra relação com 18 cidades, somando R$ 2.014.906,82, foi divulgada no DJe do dia 23 de julho.

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )